Rosácea: 10 Perguntas e Respostas

 

10 Perguntas e Respostas para entender a Rosácea

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

  1. Como se caracteriza a Rosácea?

A Rosácea é uma doença da pele, que se caracteriza por uma vermelhidão que normalmente começa no centro da face e depois progride para as zonas das maçãs do rosto, testa e queixo. É mais comum em mulheres entre os 30 e os 50 anos de idade.

  1. Para além da vermelhidão do rosto, quais os outros sinais e sintomas?

Normalmente, os sintomas começam com uma facilidade da pessoa em corar, que é uma situação que muitas vezes não é valorizada.

Após esta fase, podem ocorrer várias alterações, nomeadamente a vermelhidão persistente no rosto, as pápulas eritematosas com ou sem pus (borbulhas rosadas), bem como o aparecimento de vasos sanguíneos na superfície da pele, as chamadas telangiectasias. Nos casos mais graves, sobretudo no sexo masculino, a deformação do nariz pode tornar-se evidente devido ao aumento do volume das glândulas sebáceas, dando-se a isto o nome de rinofima.

  1. Quais as causas desta doença?

A Rosácea tem origem multifactorial, ou seja, existem muitas causas. Sabemos que há uma predisposição genética, ou seja, quando há um historial de casos na família, a pessoa tem uma probabilidade aumentada de vir a ter a doença.

Outras causas são: alterações emocionais (stress); alterações hormonais (gravidez, menstruação, menopausa); exposição solar excessiva; a ingestão de bebidas alcoólicas; determinadas profissões (tais como cozinheiros, devido ao calor excessivo a que estão sujeitos); a utilização de alguns medicamentos, entre outros.

  1. A Rosácea pode ser confundida com Acne?

Pessoas que têm uma facilidade em corar, com posterior aparecimento de vermelhidão persistente e borbulhas, devem consultar um dermatologista. Por vezes, pessoas de 40 ou 50 anos aparecem na consulta, dizendo “eu nunca tive acne e agora apareceu-me com esta idade”. Pode, na verdade, não ser um caso de acne, mas sim de Rosácea. Na consulta, efectuamos uma história clínica completa, incluindo os antecedentes familiares, contudo sem esquecer todas as outras possíveis causas desta doença.

  1. Como se diagnostica a Rosácea?

A Rosácea não se diagnostica com análises de sangue, mas sim através de um exame clínico feito por um médico dermatologista, que é o profissional de saúde com mais experiência para diagnosticar e tratar a Rosácea, e quanto mais cedo começar a ser tratada, melhor.

  1. Como é o tratamento desta doença?

Na consulta, para além de aconselharmos as pessoas a alterarem alguns dos seus estilos de vida, elaboramos também um plano terapêutico individualizado para cada doente.

De acordo com o grau da Rosácea, o tratamento passará por uma medicação tópica, com cremes ou géis à base de antibióticos (eritromicina, metronidazol, entre outros). Em casos mas graves, podemos usar comprimidos (medicação sistémica).

Em doentes que mantêm vermelhidão persistente e/ou telangiectasias a nível do nariz e maças do rosto, utilizamos o Laser ou Luz Intensa Pulsada, com resultados clínicos muito satisfatórios.

De acordo com a minha experiência, na grande maioria dos casos de Rosácea, é necessário conjugarmos os vários métodos de tratamento (aconselhamento clínico, terapêutica tópica, oral e tratamento com Laser).

  1. Além da medicação que outras precauções devem ter os doentes com Rosácea?

Os pacientes devem evitar a exposição solar prolongada e usar protector solar com um factor de protecção acima de 30. É também importante evitar variações bruscas de temperatura, pois esse também é um factor desencadeante: por exemplo, quando passam de um ambiente muito quente para um ambiente muito frio, devido ao ar condicionado, ou então no Inverno, em que passam de ambientes externos muito frios para ambientes interiores aquecidos (lareiras).

  1. A dieta tem alguma influência no controlo da doença?

A dieta também é importante: deve evitar-se todos os alimentos condimentados (picantes), bem como bebidas alcoólicas, sendo também importante reduzir o consumo de cafeína. Por outro lado, deve evitar-se tomar bebidas quentes, pois a ruborização pode agravar-se.

Se ao nível da dieta e do estilo de vida, o doente tomar as precauções devidas, isso já terá um impacto muito substancial no controlo da doença.

  1. É possível a cura para a Rosácea?

Trata-se de uma doença crónica, pelo que não existe cura definitiva, mas em muitos casos, se as pessoas evitarem os factores agravantes e se mantiverem uma medicação adequada, é possível controlar muito bem a Rosácea e viver praticamente sem crises, embora saibamos que, de vez em quando, elas poderão ocorrer. O mais importante aqui é referir que as pessoas devem procurar sempre um especialista.

  1. Quais as consequências em caso de não tratamento?

No fundo, há um aspecto muito importante, que é o estigma social. As pessoas sentem-se desconfortáveis por corar com muita facilidade, sem saber que até podem resolver a situação.

Em termos psicológicos, acaba por afectar o indivíduo a nível social, em alguns casos até mesmo a nível de emprego, pois afecta a auto-confiança. As pessoas pensam muitas vezes que esta é uma questão estética e que, por via disso, é menos importante, mas toda esta parte social tem um impacto na nossa vida que não pode ser ignorado e que, no limite, pode fazer com as pessoas tenham vidas menos felizes e se sintam menos realizadas.

Tiago Esteves, MD, PhD

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s